PARA ORGANIZAÇÕES SOCIAIS, HIGIENISMO E VIOLÊNCIA NÃO SÃO SOLUÇÕES PARA A REALIDADE DAS PESSOAS EM SITUAÇÃO DE RUA

Compartilhe esta notícia.

As entidades lançaram carta que está aberta a novas adesões até dia 5 de fevereiro, pelo e-mail: [email protected]org.br.

Movimentos e organizações sociais lançam carta à sociedade curitibana em resposta às recentes manifestações de entidades patronais do comércio da cidade sobre as pessoas em situação de rua. Nas últimas semanas, a Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) pediu remoção dessa população, mesmo à força, se fosse necessário, e a Associação Comercial do Paraná (ACP) afirmou que comerciantes reclamam de prejuízos e pediu providências imediatas.

Escrita por iniciativa do Movimento Nacional da Popular em Situação de Rua de Curitiba, a carta apresenta os motivos que levam à situação de rua e as falhas nas políticas públicas voltadas a essa população. Para as organizações, é necessário diálogo entre os diversos setores da sociedade para que as reais soluções para esta questão sejam construídas: “Apontar o problema apenas não é o caminho, mas sim apontar propostas humanizadoras, concretas, sustentáveis, com protagonismo do povo da rua, que direcionem para o caminho”.

O documento está  aberto a novas adesões de pessoas e organizações, até dia 5 de fevereiro, sexta-feira, pelo e-mail: [email protected]org.br.

Acesse a carta em pdf.

Por Assessoria do Cefúria

anuncio-tsm-posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *