Universidades estaduais dependem de verba para despesas de custeio para iniciar as aulas

Colabore com o jornalismo independente, compartilhe.

Entrada da UENP-Cornélio Procópio. Foto: Joka Madruga

O reitor da Unicentro Aldo Bona, que é presidente da Associação Paranaense dos professores de Ensino Superior Público (Apiesp), denunciou nesta semana que sete universidades estaduais não têm condições estruturais para iniciar o ano letivo e que quatro delas podem fechar as portas por falta de funcionários fixos.

De acordo com Bona, a Unespar (Universidade Estadual do Paraná), Uenp (Universidade Estadual do Norte do Paraná), Unioeste (Universidade Estadual do Oeste) e Unicentro (Universidade Estadual do Centro-Oeste) dependem de um repasse de R$ 124 milhões, que serviriam para despesas de custeio.

Além desse valor que ainda não foi repassado pelo governo estadual, as universidades também não têm como manter despesas estruturais, como as contas de luz.

A Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia teria confirmado o repasse de apenas 30% do custeio, e no mês de abril. A pasta também está anunciando que o repasse de verbas depende da aprovação pela Assembleia Legislativa do chamado “pacotaço”, um dos motivos da greve dos professores e servidores estaduais que já dura 15 dias.

Paula Padilha, com informações do UOL e da Gazeta do Povo
Terra sem Males

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *